segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Biografia René Guénon


René Guénon (Blois, 15 de novembro de 1886 — Cairo, 7 de janeiro de 1951) foi um metafísico, esoterista e crítico social francês.
Foi o pioneiro e o principal porta-voz, juntamente com Frithjof Schuon, da Escola Perenialista, baseada na Filosofia Perene. Autor universalista, esposava a tese da "unidade transcendente das religiões", ou seja, que as diversas tradições religiosas mundiais têm um fundamento metafísico e espiritual convergente. A partir de 1930, viveu no Cairo, onde praticou o Islã como sua religião pessoal e onde era conhecido como cheique `Abd al-Wahid Yahya . Ao lado da prática do esoterismo islâmico, ou Sufismo, Guénon prosseguiu expondo a doutrina da universalidade da verdade, como se pode verificar em livros como "Símbolos Fundamentais da Ciência Sagrada" e "O Reino da Quantidade e os Sinais dos tempos".

O termo filosofia perene geralmente é usado como sinônimo de Sanatana Dharma (sânscrito para "Verdade perene ou eterna"). Leibniz o utilizou para designar a filosofia comum e eterna que é subjacente a todas as grandes religiões mundiais, em particular suas místicas ou esoterismos.

Intelectuais em todo o mundo, de variadas origens culturais e religiosas, saudaram o aparecimento da obra guénoniana. Entre os católicos, os britânicos Angus Macnab, Bernard Kelly e William Stoddart. Walter Shewring foi outro reputado acadêmico católico, mestre de Ampleforth College, que prestou tributo à função seminal de Guénon: “René Guénon foi um dos raros escritores de nosso tempo cuja obra é realmente importante... Ele sustenta a primazia da pura metafísica sobre todas as outras formas de conhecimento.... Os escritos de Guénon enfatizam o declínio intelectual do Ocidente desde a Renascença e expõem as superstições da ciência e do 'progresso'. A maior parte de suas teses mostra maior concordância com a autêntica doutrina tomista do que muitas opiniões de cristãos pouco instruídos.” (The Weekly Review, Londres, 1942).

O metafísico anglo-indiano Ananda Coomaraswamy assim se referiu a Guénon:

Não existe nenhum autor na Europa contemporânea mais importante do que René Guénon, cuja tarefa tem sido expor a tradição metafísica universal que sempre foi o fundamento essencial de todas as culturas anteriores, e que representa a base indispensável para qualquer civilização digna desse nome.
A vasta e influente obra de René Guénon foi classificada em três categorias principais pelo autor brasileiro M. Soares de Azevedo.

A primeira é a da exposição da metafísica tradicional, como veiculada em Shânkara (filósofo hindu do século IX DC), Platão ou Plotino.
A segunda é a da crítica da mentalidade materialista, evolucionista e relativista da modernidade.
A terceira categoria é a da explicação do simbolismo tradicional, seja o cristão, o islâmico, o hindu, o taoísta ou o universal.
Ainda segundo Mateus Soares de Azevedo, "foi no Oriente que Guénon encontrou inspiração e suporte intelectual para sua vasta obra (27 livros, já publicados nas principais línguas), especialmente no Vedanta não-dualista da Índia, na sabedoria chinesa e no Sufismo, cujos princípios universais tratou de re-elaborar em estilo acessível aos ocidentais. (...) Ele foi o mentor e pioneiro do método “perenialista” de estudo dos legados intelectuais das diferentes civilizações. Foi um dos primeiros a apontar para a solidariedade substancial dos patrimônios das distintas tradições religiosas e para seus fundamentos filosóficos comuns, por trás das diferenças de doutrinas, ritos, moralidades e formas artísticas. Ao mesmo tempo, foi um crítico severo do exclusivismo religioso e de todo “comunalismo” e fundamentalismo extremista. Foi também um pioneiro da crítica da mentalidade materialista e individualista de nossos tempos. Para ele, o moderno Ocidente vive em profunda crise de valores e de sentido porque se separou de suas raízes espirituais e esqueceu as dimensões mais profundas da existência."

Bibliografia

Obras traduzidas ao português
A Crise do Mundo Moderno (Lisboa, Editorial Vega, 1977, e São Paulo, Irget, 2009)
O Reino da Quantidade e os Sinais dos Tempos (Lisboa, Dom Quixote, 1989, e S. Paulo, Irget, 2009)
Os Símbolos da Ciência Sagrada (São Paulo, Pensamento, 1989, e S. Paulo, Irget, 2010)
Oriente e Ocidente (S. Paulo, Irget, 2009)
Introdução Geral ao Estudo das Doutrinas Hindus (S. Paulo, Irget, 2010)
O Rei do Mundo (S. Paulo, Irget, 2008)
Esoterismo de Dante e São Bernardo (S. Paulo, Irget, 2011)
O Homem e seu Devir Segundo o Vedanta (S. Paulo, Irget, 2010)
O Simbolismo da Cruz (S. Paulo, Irget, 2011)
Considerações Sobre a Iniciação (S. Paulo, Irget, 2008)
Os Estados Múltiplos do Ser (S. Paulo, Irget, 2009)
Princípios do Cálculo Infinitesimal (S. Paulo, Irget, 2010)
O Erro Espírita (S. Paulo, Irget, 2008)
O Teosofismo (S. Paulo, Irget, 2008)
Autoridade Espiritual e Poder Temporal (S. Paulo, Irget, 2011)
Iniciação e Realização Espiritual (S. Paulo, Irget, 2010)
Estudos Sobre a Franco-Maçonaria e o Companheirismo (S. Paulo, Irget, 2009)
Formas Tradicionais e Ciclos Cósmicos (S. Paulo, Irget, 2012)

Títulos em francês

Aperçus sur l'Initiation. Paris: Éditions Traditionnelles. ISBN 2-7138-0064-1.
Autorité spirituelle et pouvoir temporel. Paris: Guy Trédaniel/Éditions de la Maisnie. ISBN 2-85-707-142-6.
Introduction générale à l'étude des doctrines hindoues. Paris: Guy Trédaniel/Éditions de la Maisnie.
L'Erreur spirite. Paris: Éditions Traditionnelles, 1923. ISBN 2-7138-0059-5.
L'Homme et son devenir selon le Vêdânta. Paris: Éditions Traditionnelles. ISBN 2-7138-65-X.
La Crise du monde moderne. Paris: Gallimard. ISBN 2-07-023005-8.
La Grande Triade. Paris: Gallimard. ISBN 2-07-023007-4.
La Métaphysique orientale. Paris: Éditions Traditionnelles. Sem ISBN.
Le Règne de la Quantité et les Signes des Temps. Paris: Gallimard. ISBN 2-07-023003-1.
Le Roi du Monde. Paris: Gallimard. ISBN 2-07-023008-2.
Le Symbolisme de la Croix. Paris: Guy Trédaniel/Éditions de la Maisnie. ISBN 2-85-707-146-9.
Le Théosophisme, histoire d'une pseudo-religion. Paris: Éditions Traditionnelles. Sem ISBN.
Les États multiples de l'Être. Paris: Guy Trédaniel/Éditions de la Maisnie. ISBN 2-85-707-143-4.
Les Principes du Calcul infinitésimal. Paris: Gallimard. ISBN 2-07-023004-X.
Orient et Occident. Paris: Guy Trédaniel/Éditions de la Maisnie. Sem ISBN.
Saint Bernard. Paris: Éditions Traditionnelles. Sem ISBN.
Coletâneas póstumas de artigos de René Guénon
Aperçus sur l'ésotérisme chrétien, Éditions Traditionnelles. Sans ISBN.
Aperçus sur l'ésotérisme islamique et le taoïsme, Gallimard, Paris, ISBN 2-07-028547-2.
Comptes rendus, Éditions Traditionnelles. Sans ISBN.
Études sur l'Hindouisme, Éditions Traditionnelles, Paris. Sans ISBN.
Études sur la Franc-maçonnerie et le Compagnonnage, t. 1, Éditions Traditionnelles, Paris. ISBN 2-7138-0066-8.
Études sur la Franc-maçonnerie et le Compagnonnage, t. 2, Éditions Traditionnelles, Paris. ISBN 2-7138-0067-6.
Formes traditionnelles et cycles cosmiques, Gallimard, Paris. ISBN 2-07-027053-X.
Initiation et Réalisation spirituelle, Éditions Traditionnelles, Paris. Sans ISBN.
Mélanges, Gallimard, Paris. ISBN 2-07-072062-4.
Symboles de la Science sacrée, Gallimard, Paris. ISBN 2-07-029752-7.

Obra traduzida ao inglês

Introduction to the Study of the Hindu Doctrines (1921)
Theosophy: History of a Pseudo-Religion (1921)
The Spiritist Fallacy (1923)
East and West (1924)
Man and His Becoming according to the Vedanta (1925)
The Esoterism of Dante (1925)
The Crisis of the Modern World (1927)
The King of the World (1927)
Spiritual Authority and Temporal Power (1929)
The Symbolism of the Cross (1931)
The Multiple States of the Being (1932)
The Reign of Quantity and the Signs of the Times (1945)
Perspectives on Initiation (1946)
The Great Triad (1946)
The Methaphysical Principles of the Infinitesimal Calculus (1946)
Initiation and Spiritual Realization (1952)
Insights into Christian Esoterism (1954)
Symbols of Sacred Science (1962)
Studies in Freemansory and the Compagnonnage (1964)
Traditional Forms and Cosmic Cycles (1970)
Insights into Islamic Esoterism and Taoism (1973)
Reviews (1973)
Miscellanea (1976)

Referências

Ir para cima ↑ Quem foi René Guénon - Shaykh `Abd Al Wahid Yahya? (em inglês). Visitado em 18 Fev 2011.
Ir para cima ↑ Citado em Roger Lipsey: "Coomaraswamy, His Life and Work". Princeton University Press, 1977, p.170.
Ir para cima ↑ Cf. AZEVEDO, Mateus Soares, René Guénon, entre o Loire e o Vedânta, Gazeta Mercantil, 28 de dezembro de 2001. Reproduzido em Sapientia: http://www.sapientia.com.br/rg.htm).
Ir para cima ↑ "René Guénon, entre o Loire e o Vedânta", op. cit.

Nenhum comentário:

Postar um comentário